Quem disse que não gostamos de ler?

Espaço onde podemos ver o nosso trabalho em torno do livro.

quinta-feira, junho 22, 2006

Emoção na Miguel Torga

Hoje foi a última sessão do projecto. Tal como começou, acabou na Miguel Torga. E acabou em beleza. A turma do 7º 2ª foi muito generosa comigo, a ponto de me fazer chorar. Para além do desafio de os motivar para a leitura, hoje cumpriu-se o mais importante: é certo que não nos esqueceremos uns dos outros, e o que nos ligou foram os livros. Desta vez, os livros não foram apenas um fim, mas um meio para passarmos seis meses a conviver na sala 20, na aula de Estudo Acompanhado da prof. Cristina Algeós.
Este post não é sobre os livros, sobre índices de sucesso, sobre estratégias. Este post é um muito, muito obrigado a todos, sem excepção, porque convosco aprendi muitas coisas, e acima de tudo, acredito muito no sucesso da vossa escola, no sucesso dos vossos professores e em particular da prof. Cristina, e acredito acima de tudo em vocês.
Quem disse que não é possível surpreendermo-nos sempre uns com os outros? Quem disse que a escola não nos pode fazer felizes? Quem disse que os livros não escondem as palavras que, em alturas como esta, não conseguimos dizer ou escrever?
Esta história fica aqui, e na memória de todos.

segunda-feira, junho 19, 2006

Trisavó XV

A última 'Trisavó' é da Liliana, da Pedro d'Orey da Cunha. Como os últimos são os primeiros, fica esta valsa em jeito de conclusão. A 'Trisavó' assustou alguns, mas como estavamos no princípio muitos cumpriram a tarefa. Aqui só estão as capas mais votadas. Depois, com o avançar das comunidades, todos ficámos mais íntimos e as conversas suplantaram as actividades. E estou convicta de que as leituras foram mesmo recreativas, no tempo e de acordo com a vontade de cada um.

Despedidas na Cardoso Pires

Foi hoje a última sessão na Cardoso Pires. Por isso, tal como lhes disse, anuncio agora que foi este o melhor grupo de leitores de todas as comunidades. O grupo constituiu-se com quinze voluntários, dos quais dez ficaram até ao fim. Pelo inquérito podemos constatar o enorme índice de leitura do grupo: dos dez, seis leram os seis livros propostos; três leram cinco e apenas um leu três.
Votou-se o melhor leitor e o grupo foi justo: foi eleita a Margarida.
A Margarida é uma excelente leitora, de facto. Já conhecia e tinha lido «As Crónicas de Spiderwick» antes de a Comunidade começar e na altura receei que não se interessasse pelo projecto por já ser uma leitora regular. Mas não. Sempre foi crítica o que é muito bom e, ao contrário da tendência geral, elegeu «A Biblioteca Mágica» como o livro de que mais gostou. Era o livro de leitura mais difícil, porque tinha muitas referências e muita informação na trama.
Mas não foi só a Margarida a eleger 'A Biblioteca' como livro preferido. Também a Ana Rita, a Sara, a Andreia e até a Eunice, que não leu os livros todos.
Os outros preferem «As Crónicas de Spiderwick». A aventura ganha aos pontos aos dilemas adolescentes quando estão em competição. Ainda bem para os bons policiais, as boas intrigas, as narrativas que nos entusiasmam até ao fim.
Agora amigas e amigo, está na hora de outros voos. Se puder ser, continuamos a voar juntos, se não puder ser, voem sozinhos, que sabem e podem, basta quererem.

terça-feira, junho 13, 2006

Balanço na Almeida Garrett

O grupo da Almeida Garrett era pequenino: a Constança, a Patrícia, o Diogo e o Gonçalo. E bastante exigente. Todos são leitores, excepto o Gonçalo, que tem preguiça e bichos carpinteiros.
Por isso, se posso pensar em sucesso, foi levar o Gonçalo a ler com prazer As crónicas de Spiderwick, não só o primeiro volume como os que se seguem, e que comprou espontaneamente. Claro que também levava sempre com ele a caderneta do Mundial e tentava desestabilizar a conversa com os novos cromos. Mas eu também gosto de futebol, e do Mundial...
O Diogo, a Patrícia e a Constança já encontraram uma linha temática preferida. Para o Diogo, aventura com fantasia e mistério. É concentrado mas nem sempre tem uma motivação por aí além. Por isso Spiderwick foi eleito por si como o livro de que mais gostou. Mas tem competência para ler sem esforço livros mais densos, como Eragon, que já leu. Tolkien, Dan Brown, Isabel Allende, se calhar no futuro As Brumas de Avalon, quem sabe?
A Constança é muito crítica e activa, entre os estudos e os treinos de basquetebol. Gosta de dramas de amor, drogas e morte, especialmente se envolverem adolescentes. Um dos temas frequentes eram os Morangos com Açucar, que eu criticava ferozmente e ela defendia com vigor. Apesar de tudo, não se incompatibilizou com a escrita de indícios e suspensão narrativa da Ana Saldanha. Dentro de mim e Uma argola no umbigo foram os livros de que mais gostou.
Finalmente, a Patrícia. Será, de entre os quatro, a mais discreta e mais segura. Gosta de romances, e estará já entre a denominada literatura juvenil e a literatura para adultos, se é que isso existe de forma tão espartilhada.
Creio que este grupo não se vai perder para a leitura. Não foi esta comunidade que os fez leitores, mas foi esta comunidade que contribuiu para criarem um ritmo numa fase em que as horas começam a ser muito curtas para viver tudo o que se deseja.

Trisavó XIV



A nossa Trisavó acompanha-nos até ao fim. Fica mais uma "Valsa", agora já sobejamente conhecida, de uma menina da Pedro d'Orey da Cunha.

Tempo de despedidas

Já houve despedidas na Manuel de Melo, em Alfornelos e na Almeida Garrett.
É sempre triste dizer adeus. O balanço é positivo. Fizemos um inquérito cujos resultados vamos divulgar aqui. O livro mais votado para preferido e menos amado; o melhor e o pior do projecto.
Já houve comentários gratificantes. A Vanessa, da Cardoso Pires confessou que agora já gosta mais de ler e a Jéssica, da Manuel de Melo, deixou escrito no inquérito que está mais entusiasmada pela leitura.
Amanhã é dia de despedida na Cardoso Pires.